Raiz

3/16/2020

Quando poemo
Debulho sementes
Nas mentes:
Doentes, doídas, carentes

Soprando rimas
Para fazer germinar
Regando estrofes
Para fortificar

Até nascer
Um galho de vida
Uma nova saída
A esperança para vencer

Até  crescer
A alma florida
Tão fortalecida
Que nenhum mal vai abater

Quando poemo
Vou na raiz
Da vida
de quem tá por um triz

Pedrosill

0 comentários