Cavalo

11/25/2018

Levo comigo a missão
De nunca ser o que são
Trago comigo, amigos
Forças vindas do infinito

Os deixo vir, depois vão
Deixam com quem quer, lição
E ensinam a ser polidos
Por dentro jardins floridos

Eu estendo a mão
Pra quem eu não sei se é vão
Pra quem eu não sei se é bom
Pra quem eu não sei
Se vai rir ou chorar
Temer ou agradecer
Fortalecer ou desprezar

Colho sementes do chão
Planto em qualquer coração
Sejam banais ou especiais
Sejam falidos ou marechais

Os deixo ir, depois vêm
Quando precisam de alguém
Capaz de os acolher, escutar
Desobstruir, reorientar

Eu estendo a mão
Pra quem eu não sei se é vão
Pra quem eu não sei se é bom
Pra quem eu não sei
Se vai crer ou vai duvidar
Rejeitar ou entender
Despertar ou ignorar

Do porquê, eu só sei que é dom
Do porquê, eu só sei que é amor
Do porquê, eu só sei existir se me dedicar
A exercer o ascender
E o mensageiro transportar

Levo comigo a missão
De sempre ser um irmão

Pedrosill

Foto: Kirsten LaChance

0 comentários