Busque um poema

24 setembro 2018

Na espreita

O diabo,
na espreita,
espera!

Pela oportunidade
De causar fatalidade.
Como se já não bastasse
Tanta infelicidade!

Inicia desavenças,
Se articula na dormência
Da tal amabilidade.

Se alimenta da descrença,
Se aproveita da ausência
De fé da humanidade.

Pedrosill
Compartilhe esse poema: