A paixão do Ilusionista

9/24/2018

Mágicos despertam euforia
e fazem a alegria
aparecer de dentro de uma cartola.

Depois cortam
essa alegria ao meio,
fazem ela desaparecer
e ainda ficam à espera de aplausos.

Desaparecem com tudo
que conseguem tirar de nós:
sussurros, dinheiro,
sorrisos e sonhos.

Mágicos:
Se não fossem malditos,
poderiam ser divinos.

Dizem que para dar o próximo passo,
basta ter dado o último.
O último basta!

E foi assim que a platéia,
antes encantada com truques baratos, disse:

"BASTA! Chega de mágicos.
Já temos que conviver com a corda bamba
e o globo da morte,
o fogo cuspido para o alto,
o atirador de facas..."

Preferiram aquele nos faz sorrir
das coisas pequenas,
aquele com o nariz vermelho,
meio desajeitado, coração bondoso...
Que não se preocupa em estar na moda,
parecer bonito ou bem sucedido.
Aquele cujo prazer é nos fazer sorrir,
a toda hora,
nos amenizar os dramas.
Aquele cuja magia nunca termina em cinzas,
como a paixão do ilusionista.

Pedrosill

0 comentários