Busque um poema

28 janeiro 2016

Trovões

Quem irresponsavelmente
Invoca a fúria de minhas tempestades
Não pode reclamar do barulho dos meus trovões
Tão pouco chorar os efeitos dos meus furacões

Pedrosill
Compartilhe esse poema: