Fui no Mar

7/30/2012
A vida...
Que o valor que eu dei pra minha
Deveria ter sido maior do que eu dei pra sua!
Foi o que me disse a lua,
Quando me acordou do pesadelo

Ali, louco eu, em desejo
Procurava por fim na loucura
Pronto em minha secreta aventura
Pra tirar o sabor desse azedo
Que pra meu desespero, ainda perdura

Eu não sei do que mais tive medo...
Afogar?
Desistir?
Insistir?
Mergulhar?

Era um mundo invertido?
Eu que não soube olhar?
Por que não é brinquedo?
Eu queria boiar...

Ahhhh... Como eu queria boiar...
Diante de tudo aquilo!

Do meu peito lutando
Meu medo aumentando
E o corpo morrendo
Sedento por chance
Pedindo revanche
Gritando ao relento

E de nada eu mais lembro!

Só me vi debruçado na areia
Esperando outra onda beijar o meu corpo coberto de arrependimento
Eu queria o desprendimento
Como fui me aprisionar?

Se a loucura boiasse,
Eu certamente, meu irmão, não estaria aqui pra contar
Que eu fui, no mar...
...do amor!

Pedrosill

Santo

7/27/2012
Em todo canto há um santo pra adorar!
E há sempre um canto para saudar o seu encanto!
Há um recanto reservado pra velar...

Em todo canto há um santo pra rezar!
E o quebranto sumirá sem muito espanto
E qualquer pranto, pouco ou tanto há de secar
Frente à beleza de um santo ao curar!

Pedrosill

O Tempo

7/24/2012
Eu era o seu experimento
Você que nunca percebeu
Um belo exemplo de tempo
Daqueles que você perdeu

Eu sou concreto, não sou vento
Você que nunca entendeu
Cada segundo é sentimento
Quem valoriza, venceu

Pois sou composto de momentos
Pena de quem nunca viveu
E como sou renascimento,
Quem passa assim por mim, morreu!

E só pra seu conhecimento
Tempo não volta, nem eu

Se todo mundo tem um tempo
Eu hoje sei, não sou o seu

Pedrosill

Queima

7/23/2012
Assim como os fogos de artifícios,
a paixão é um lindo espetáculo
Pra quem não se acaba entre as chamas!

Pedrosill

Ao Alcance das Mãos

7/17/2012
Palavras que morrem na praia não amam sereias
Sementes se caem no asfalto não brotam paixão
Nem sempre erguemos castelos de areia
Mas a tentativa...
Essa sempre estará ao alcance das mãos!

Pedrosill

Sem Vírgulas Nem Ponto

7/13/2012
Achei um erro em minha obra
Quando te encontrei
Achei a obra
Quando me encontrei
Em minha hora
Sem vírgulas nem ponto
Sem paradas e nem ponto final
Afinal
Achei um erro

Pedrosill

Definição

7/05/2012
Minha poesia é entidade coletiva sem morada
Uma estrofe que mendiga numa casa abandonada
Um verso solto que transita sem qualquer preocupação!

Uma arma destemida
Numa guerra isolada
Onde tudo é munição

É loucura divulgada
Numa mídia censurada
Realidade e Ilusão

É bobagem convertida
Em resposta improvisada
À perguntas desalmadas
Quanto a minha definição

Pedrosill

Pílula de Curar Desilusão

7/03/2012
Até onde eu sabia estava tudo indo bem
Que até comprou anel pra presentear seu neném
Até onde eu sabia estava tudo indo bem
Que até lua de mel tava organizada também

Até que seu par
Quis se mandar com outro alguém
Você sem acreditar
Decide me ligar
Pra se vingar também

Pílula de curar desilusão
Eu nunca fui...
Até então!

Pílula de camuflar solidão
Eu nunca fui...
Até você me dar a mão
E querer me beijar
Outro lugar, outro colchão
Pra tentar esquecer
Quem fez sofrer seu coração

Pílula de curar desilusão
Eu nunca fui...
Até então!

Pílula de curar desilusão
Eu nunca fui...
Até então!
Até que esse seu par
Quis outro par
Outra visão
E deixou de querer
Seu bem querer
Sua paixão

Até onde eu sabia estava tudo indo bem
Até onde eu sabia estava tudo indo muito bem

Minha pílula vai curar seu coração
Basta só você se entregar em minhas mãos
Não precisa jurar amor pra mim paixão
Minha pílula vai curar
Basta só você se entregar

Minha pílula vai curar seu coração
Uma hora ela vai desviar sua atenção
Não precisa jurar amor pra mim paixão
Basta só você se entregar
Minha pílula vai te curar

Pedrosill