Traumas e Protocolos

5/16/2012

Era criança largada
Sem um cuidado
Não percebia as feridas

Nenhum brinquedo doado
Me dava afago
Era um passado sem perspectiva

Era um menino recluso
Sempre com medo
Era um escudo fajuto
Com mil defeitos

Era o produto do meio, ignorado
Só festejava 1º de setembro

Era a esperança escorrendo nos dedos
Era um pedaço da vida de escanteio
Era motivo pra qualquer botar defeito
Me perguntava tanto

E esses fatos
Somaram-se aos anos
A mente foi amortecendo
E por defesa fui acostumando
Me nivelar por menos

E esses dados
Somaram-se aos medos
E não fui percebendo
Certos costumes eu não fui apresentado
Há protocolos que não compreendo

E até eu mudar
Você vai ter entender
O que hoje é importante pra mim
Talvez não seja pra você

Até eu me adaptar
Você vai ter que esperar
Pra superar os traumas
Vou trabalhar a alma
E esperar que o tempo possa me pra curar

E o tempo vai curar...
(Fé em Deus que o tempo vai curar!)

Um jardim abandonado
Sozinho não pode florescer
Mas se ele for regado
Com carinho e cuidado
Tudo pode acontecer

E vai acontecer!

Pedrosill

0 comentários