Hora de Não Mais Ter

5/08/2012

Quando eu te perder
Será que o Adeus
Vai nos conduzir
Ou recomeçar?

Será que eu vou te perdoar?
Será que eu vou me perdoar?

Quando se aproximar...
Hora de não mais ter
Eu não vou aguentar
Eu não quero ficar pra ver...

Eu preciso me preparar...
Eu preciso me preparar...

E quando eu chorar
Alguém vai me conter?
O que vai me matar?
A vontade de ter
Ou o nunca tentar?

Eu só quero te amar...
Eu só quero te amar...
Eu só quero te amar...

Nós vivemos nossas vidas
Vidas vindas de outras vidas
Vidas não amadurecidas
Nós viemos curar feridas

É minha missão
Segurar sua mão

É minha missão
Acredite ou não

É minha missão
Tem que ser cumprida
Ainda nessa vida
Ainda nessa vida

Pedrosill

Fotografia: Gilson Vilela
Fotografia: Gilson Vilela

4 comentários

  1. Ótimo poema!!! Saber lidar com as perdas é um grande desafio humano. Será que sabemos a hora de não ter mais? A cada dia eu perco um pouco de mim. A cada dia o meu "eu" se renova. Eis um grande desafio: saber me perder de mim mesmo a todo instante e, ao mesmo tempo preencher esta perda com um novo "eu". Seu novo poema me fez refletir sobre este desejo de esvaziar-me a cada dia(me perder de mim), sabendo identificar a hora de não ter mais e encontrar meios para encarar perdas e perdas... Adorei! Parabéns pela composição!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado Jefferson!

    Este assundo é sempre delicado pra mim... escrever sobre minha mãe é sempre motivo de muita emoção!

    Obrigado pela visita, pelo carinho!!

    Forte Abraço!!

    ResponderExcluir
  3. Pedro, realmente tocante esse poema.
    Para mim, especialmente, pela lembrança de minha amada mãe que já partiu para a Espiritualidade deixando aqui muita saudade.
    Continue a escrever, tocar e inspirar bons sentimentos.
    Um grande abraço! (Espero que a declame no Justiça à Poesia em homenagem ao Dia das Mães - 14.05.2012 às 13h00 no prédio das Varas do Trabalho de Maceió - 3o andar). Até lá!

    ResponderExcluir
  4. Olá Sara!

    Devo dizer que fiquei muito feliz em ver que este poema tenha tido essa recepção positiva... e principalmente por ter te remetido a um sentimento particular a respeito de sua mãe... fico até honrado em poder tocar numa emoção como a que você deve ter sentido!

    E a respeito do convite, mais uma vez obrigado!!! Eu com certeza irei sim!

    Forte Abraço e até lá!

    ResponderExcluir