À Espera da Noite - Ensaio Fotográfico

12/28/2011
(Eu estou)
À espera da noite
Do agito que não sufoca
Do agito que me abre as portas
Pra que eu seja quem eu bem quiser!

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


Poema: "À Espera da Noite"
Fotos: Gilson Vilela
Modelo: Izabelle Castro
Concepção e Direção: Pedrosill e Gilson Vilela
Cabelo e Maquiagem: Roberval Araújo

Agradecimento especial à boate "Loop Louge Club" na pessoa de Mateus Vilela pela concessão do espaço, e ao incrível Neto Amorim pelo agenciamento da locação!

Por último, porém não menos, meus agradecimentos à minha vó (D. Nenê) e meu Pai Carlos Antônio, pelo suporte durante o dia de trabalho!

Próximos Ensaios

12/16/2011
Amigos, Inimigos, Conhecidos, Desconhecidos, Seguidores e Perseguidores:
Os próximos ensaios fotográficos serão:

1- Beijo Contido;
2- Permita Enfim;
3- VIVE-NCI-ANDO;
4- Ternura;

Alguém afim de estrelar os ensaios??? Comente abaixo, indicando qual poema você deseja estrelar... (não esqueça de deixar uma forma de contato....)

COMO SERÃO OS ENSAIOS:

1 - Beijo Contido: Lábios carnudos... contendo seu desejo...

2 - Permita Enfim: Um casal, um pedido de casamento em local público;

3 - VIVE-NCI-ANDO: Um andarilho, caminhando entre as avenidas da cidade...

4 - Ternura: Um casal, uma cena de carinho e uma paisagem maravilhosa!

E aí... quem topa??? - Candidatos terão até domingo para se decidir e postar sua intenção.... será aceito também por e-mail em pedrosill17@hotmail.com ou pedrosill@gmail.com

Abração povo!

Orgulho

12/15/2011
Eu quando li seu reversos...
Diversos desacatos...
Desabafos que deram um nó

Eu quando li sua prosa
Ironia maldosa
Me vesti de assassino sem dó

E destilei, aos poucos, meus montes
Me vinguei
Desarmei
E descansei em paz

Você quando leu os efeitos
Entrou em desespero
Remendou seus conceitos também

O gosto do arrependimento
Ensinou-te um preceito:
“Não machuque a quem te quer bem”

Mas não adianta o suplício
O orgulho está ferido
Vamos nos poupar!

Já perdoei suas multas!
E não há mais desculpas
Pra você se aproximar!
Fingir que quer um ombro meu!

Pedrosill

Irmão de Luz

12/07/2011
Irmão de luz
Conduz o remo
Irmão de luz
Traduz o tempo

Azuis, serenos são
Como o vento
Estão em todo lugar

Invisíveis como o ar
Necessários pra respirar melhor
Pra descansar

Infalíveis todos são
Responsáveis por desatar os nós
Aliviar tensão
Encaminhar irmãos

Na terra
Quem dera
Ter tanto poder assim

Quimera
Me leva
Pra longe do que é ruim

Pra perto de Deus
Que fala por ti

Pedrosill