Permita Enfim

6/14/2010

Permita-me:
Pegar sua mão;
Há tanto que eu quero te mostrar...
Sei que na vida nada é em vão!
Que houve motivo pra gente se encontrar!

Permita-se:
Dar-me sua mão;
Pois temos várias coisas em comum...
Vejo você na cena que já atuei:
Amei, sofri, superei!

Como espada em punho, tudo tem dois lados:
Posso te ferir ou te proteger...
Mas já vivi rascunhos, hoje aprimorado:
Pronto pra servir, pra te satisfazer!

Assim como balança, dividindo os pesos:
Posso incluir, posso aliviar!
Já fui imprudente, hoje consciente
De como devo agir, de quanto posso amar!

Permita-me...
Permita-se...
Permita enfim!

Pedrosill

4 comentários

  1. adoreiiiiiiiiiii
    se joga msm

    ResponderExcluir
  2. as vezes as imagens refletidas nos mostra o quanto somos iguais perante ela, mas, intimamente podemos ser diferentes perantes nós, iguais a uns e diferente de vários, o bom é ser inesquecivel para ser eterno.

    ResponderExcluir
  3. Amei Pedrinho!!! O talento que Deus te deu é magnífico!!! Vc vem sendo lapidado e lapidando seus poemas e eles estão cada vez mais traduzindo o que se passa na alma, no coração e na vida do ser humano. Parabéns meu amigo, não há como não se orgulhar de fazer parte da sua vida. Um abraçaõ!!!!

    ResponderExcluir
  4. caraca pedro ficou $%¨$¨%$&¨!!!!
    sem palavras meu brother! continua sempre assim, pois a essência de seus poemas é única... encaixa perfeitamente!

    ResponderExcluir