Busque um poema

12 maio 2010

À Espera da Noite

À espera da noite
Do agito que não sufoca
Do agito que me abre as portas
Pra que eu seja quem eu bem quiser

À espera da noite
O meu corpo revira, dá voltas
Uma reviravolta hormonal
A espera se faz surreal

(Eu estou)
À espera do surreal
À espera da porta
Essa espera me sufoca
E o meu corpo dá voltas

À espera da noite
Pra debruçar o pudor, na cama
Sem o pavor da lama
Que é onde deito na noite

À espera da noite
Pra tirar o meu paletó
Pra derrubar o suor
Em cima do seu...
Só por essa noite

À espera da noite
À espera do seu suor
À espera da lama
À espera da sua cama

À espera da noite
Pra esquecer o stress, fadiga
Pra viver outras alegrias
Sem pensar no raiar do dia

Pedrosill
Compartilhe esse poema: