As letras

11/05/2009

Escrevi quando me senti
Escrevi quando recuei
Escrevi quando prometi
Escrevi quando acordei

Movimento vou
Pensamentos estou
Tatuando na pele que sugere
O espaço perfeito
Pra que meu canteiro se revele
Na boa
Mas não é à toa

A todo momento
Derramo do meu peito
Com tinta de caneta:
As letras!
Um simples esboço
As lágrimas no rosto
Parecem vir de surpresa
Coisas do hoje e de anos
Parecem surgir me livrando

Os pesos
Os medos
Os erros
Os cercos
Desejos
Segredos
Anseios
Receios

Escrevi quando permiti errar
Escrevi quando resolvi pensar
Escrevi quando decidi me encontrar
Hoje ao escrever tento me lembrar

Que tudo que eu vivo
Sempre foi e será motivo pra me orgulhar
Fruto do que eu fui
Um simples pensamento me conduz a registrar
Me escrever
Me ler
Me decifrar
E aceitar

Os pesos
Os medos
Os erros
Os cercos
Desejos
Segredos
Anseios
Receios

Assino a minha vida!
E Assine também!
Que esse pensamento já não é só meu!

Pedrosill

1 comentários

  1. A escrita é o refugio do autor ou o texto é o refugio do leitor? Que bom que tens a coragem de empunhar a caneta. Por ser intangível o peso das palavras não pode ser medido, dispará-las é uma arte arriscada e poucos aceitam a aventura. Parabéns!!!

    Falowwww!!!

    ResponderExcluir