Perdão

11/26/2009
Perdão
Pela intromissão
O controle
Total submissão

Perdão
Por suplicar
Exigir amar por obrigação

Perdão
Pela emoção
Excesso de cobrança
E desconfiança

Eu quis assim como você
Dizem que eu sempre quis mais
Mais do que eu deveria
Eu quis tentar
Perdão

Perdão
Pela euforia
Pela agonia

Perdão
Pela perseguição
Pela Obsessão

Perdão
Pelo sentimento
Descontentamento
E ressentimento

Eu vi que quis alguém
Que não me queria mal
Eu mal aproveitei
Eu que fui irreal

Senti que construí
A cama de lama pra deitar
A chama não quis apagar
Espero que possa perdoar

Pedrosill

Me Deixa Ser Seu

11/24/2009
Sempre que quiser
O que precisar
Estarei aqui
Não vou negar
Veja o que faço
Por um abraço
Por um beijo seu

Seja bem aqui
Ou ali por lá
Seja longe ou perto
Em qualquer lugar
Você vai notar
Que ha mais
Do que previu

O amor pra mim surgiu devagar
Mas logo então ganhou espaço
Veja estou apaixonado
O que mais posso falar

Ninguém jamais me completou
Tomou conta da minha mente
Consumiu de repente
Sei que nunca estive tão certo
Por isso tudo que te peço
Vem me deixar ser seu
Me deixa ser seu

Pedrosill

Permita Amar

11/24/2009
Em meio às revelações
O seu berrar ao me julgar
Era o que eu esperava ouvir

Com suas contradições
Me evitar ou censurar
Era como achei que iria agir

Mas o seu olhar
Ao me reencontrar
O primeiro abraço
Envolveu-me num laço
Você me aceitou

Do jeito que sou
Do jeito que eu sei
O amor não ter cor, sexo ou lei
E por onde eu for
Não levarei
No peito essa dor
Enfim me libertei

O que faço
Onde passo
Se venço ou fracasso

Se sozinho
Ou com alguém do lado
Já não há espaço
Pra você dizer
Se eu devo fazer

Do jeito que sou
Do jeito que eu sei
O amor não ter cor, sexo ou lei
Por onde eu for
Não levarei
No peito essa dor
Enfim me libertei

Se omito
Não minto
Confesso
Sem medo
Aberto
Convicto
Não dou um motivo
Pra me condenar
Se permita amar
Me permita mar

Do jeito que sou
Do jeito que eu sei
O amor não ter cor, sexo ou lei
Por onde eu for
Não levarei
No peito essa dor
Enfim me libertei

Pedrosill

Passou a Vez

11/19/2009
Eu pedi a mão
Um lado no colchão
A obrigação de ir à padaria
Eu pedi a mão
A chave do portão
E um espaço na escrivaninha
Eu pedi a mão
O seu coração
Ser uma parte da sua vida

Eu nunca iria imaginar
O quanto bom seria amar
Eu nunca iria prever
O quanto bom seria me entregar

Eu jurei ficar
Eu mudei pra lá
Fiquei sozinho a te esperar
Eu pedi a mão
O seu coração
A chave do portão da solidão

Eu nunca iria prever
Se um dia poderia me arrepender
Eu nunca iria imaginar
Se um dia poderia querer voltar

Foi justo o que fiz?
Apostei com tudo e perdi
Foi justo o que fiz?
Lutei contra todos e morri no fim
Foi justo o que você fez?
Tirou minha liberdade
Passou a vez

Pedrosill

Martírio

11/19/2009
O certo que sinto parece impossível
Algo from delírio ou inatingível
Confundo as idéias de tanto pensar
Engulo as palavras que quero falar

Não sei se já sabes ou imagina ser
Pois o pouco que tenho não quero perder
Nem por um momento nem no imaginar
Que se faz real com um simples olhar

Parece ser fácil, mas fácil é dizer
O medo é tamanho que escolho esconder
Por noites desejo por um só ensejo
Perceba o que sinto e que sintas o mesmo

Por fim me conformo com ar de pesar
A noite é longa e não quero chorar
Então lhe desejo felicidades
Você ainda nem se foi
Mas já me deixou saudades

Pedrosill

Além do Peculiar

11/19/2009
Freou os olhos
Ao sentir que era tarde demais
Pra seduzir com beijos
Estimular desejos
E reverter efeitos: nem um milagre!

Há muito mais aqui pra se enxergar
Além do pelicular
Ir além das meras fotos foscas
Quero ouvir da tua boca
Que quer me realizar

Não me confundo
Vou ao fundo do mistério
O som era estéreo
Mas não pôde me escutar
Uma palavra perdida
E já não há mais saída
Eu tinha tanta coisa pra te mostrar

Não sei por que me preocupo em ser completo
Se 1/4 é o que você quer usar
E quanto aos meus sentimentos
Empoeiram no canto, um tesouro que você não quer achar

Há muito mais aqui pra se tocar
Além do peculiar
Ir além das meras meias horas
Dar sem ter nada em troca
Saiba me realizar

Não me confundo
Vou ao fundo do mistério
O som era estéreo
Mas não pôde me escutar
Uma palavra Perdida
E já não há mais saída
Eu tinha tanta coisa pra te entregar

Não me iludo
Analiso tudo
Não sou o produto que você quer comprar
Eu tenho um preço, não nego
Por sentimentos me entrego
Eu tinha tanta coisa a compartilhar

Pedrosill

Seu Jeito

11/19/2009
O seu jeito descuidado de lidar
O seu modo de brincar
Não gostar de fazer planos
A sua vontade espontânea de dançar
Os jargões que aprende a falar
Já não me são estranhos

A roupa amassada da preguiça de passar
E quando insiste em se calar
Para acalmar os ânimos
A forma implicante que usas pra me conquistar
E o abraço que me dá
Quando estou mais precisando
Já não são estranhos

Mesmo quando eu não percebo ser
O que sei que eu não deveria
Algo em sua energia
Logo me faz compreender
E quando tudo quer desmoronar
Algo que eu não sei explicar
Me faz querer agradecer

O seu jeito paciente de agüentar
O meu jeito estranho de provar
Que o que eu sinto por você
É maior que o tamanho
E com essa sensação de gratidão
Que peço meu perdão
Pelo meu estranho jeito estranho de te amar

Pedrosill

As letras

11/05/2009
Escrevi quando me senti
Escrevi quando recuei
Escrevi quando prometi
Escrevi quando acordei

Movimento vou
Pensamentos estou
Tatuando na pele que sugere
O espaço perfeito
Pra que meu canteiro se revele
Na boa
Mas não é à toa

A todo momento
Derramo do meu peito
Com tinta de caneta:
As letras!
Um simples esboço
As lágrimas no rosto
Parecem vir de surpresa
Coisas do hoje e de anos
Parecem surgir me livrando

Os pesos
Os medos
Os erros
Os cercos
Desejos
Segredos
Anseios
Receios

Escrevi quando permiti errar
Escrevi quando resolvi pensar
Escrevi quando decidi me encontrar
Hoje ao escrever tento me lembrar

Que tudo que eu vivo
Sempre foi e será motivo pra me orgulhar
Fruto do que eu fui
Um simples pensamento me conduz a registrar
Me escrever
Me ler
Me decifrar
E aceitar

Os pesos
Os medos
Os erros
Os cercos
Desejos
Segredos
Anseios
Receios

Assino a minha vida!
E Assine também!
Que esse pensamento já não é só meu!

Pedrosill