Criança Madrinha

7/09/2008

É impossível falar de Ana Paula
Sem sequer lembrar-me do doce sorriso
Invasivo e cativante
Que me conquistou ao primeiro contato.
Sem ao menos desejar desfrutar
Da incomparável sensação de conforto
Que somente sua presença proporciona!
Por tudo que, de graça, me foi oferecido
Hoje levanto e insisto
Em afirmar ser irrevogável
O rótulo que me classifico
Um Bem-Aventurado!
Por ter tido, pelo menos por segundos
Um toque de simpatia em minha vida!
Uma eterna criança madrinha,
Com qual eu jamais espero
Contracenar um final em despedida.

Pedrosill - em 09/07/08
em comemoração ao dia em que um raio de luz nascia!..
(A minha Criança Madrinha Paulinha)

1 comentários

  1. Não sabias que eras poeta!!

    Muito legal teus textos...

    Espero que um dia vc possa ler os meus...

    Grande abraço,


    Berkmis Viana

    ResponderExcluir