Busque um poema

06 abril 2008

Victim of your own crime

Eu me antecipei
Devia ter verificado
Ao menos imaginado
Juro que não esperei
Que algo iria dar errado
Cegamente ilusionado

Pelas coisas antes nunca ditas
Os momentos: tardes, noites, dias
Os perfeitos suspiros de alegrias
Por cada boa coisa nova que acontecia

Amigo?
Havias prometido
Manter-se sempre ao lado
Eternamente devotado
Honrando o compromisso
Amigo?
Eu havia confiado
Você com alguém novo ao lado
Vai-se sem deixar vestígios

Eu me encontrei
Observando os retratos
Emendando com fatos
Questionando se teria eu falhado?
De repente avistei
A resposta esperada
Tanta coisa já mecanizada

O que antes era novo e valioso
De repente perde-se o sentido

Amigo?
Havias prometido
Manter-se sempre ao lado
Eternamente devotado
Honrando o compromisso
Amigo?
Eu havia confiado
Você com alguém novo ao lado
Vai-se sem deixar vestígios

Mas há sempre um nó
Pra desatar
Coisas pra cobrar
Caras pra lidar
Versões para recordar
Tantas voltas e não saio do lugar
Sempre um ponto a considerar
Feridas a cicatrizar

But it is only a matter of time
Because I know that
What goes around
Suddenly comes around
And somehow
You will be victim of your own crime

Pedrosill
Compartilhe esse poema: